origem

Mail me

blogseve@gmail.com

Posts Recentes

Ossian

E por vezes

Liberdade?

Conselhos para todas as f...

Pois...

La femme comme il faut

Da divindade

Dos dias

My Panama Papers

Do vazio

Blogs especiais

Arquivo

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2015

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quinta-feira, 12 de Novembro de 2009

Estou preocupada

 

Não sei se gostar tanto da Lisbeth Salander faz de mim

mais feminista, mais mentalmente perturbada ou mais platonicamente lésbica.

 

E isto preocupa-me.

Muito.

publicado por S às 01:10
link do post | comentar | favorito
21 comentários:
De on a 12 de Novembro de 2009 às 22:54
platonicamente?

...


...

hummmm...

...


...


nahh!
isso é mais Stieg Larsson...
De S a 13 de Novembro de 2009 às 00:23
Não achas que eu sou feminista, pois não?
Não sou, pois não?
Pois não?
De S a 13 de Novembro de 2009 às 00:25
...

Já em relação ao "mentalmente perturbada", nem pergunto...
De on a 13 de Novembro de 2009 às 09:07
perguntas dificeis...


Mas lá que tenho muita pena que não sejas um bocadinho platonica, lá isso tenho.
De on a 13 de Novembro de 2009 às 09:10
(...)

Pensando bem, não há feministas com um fraquinho por politicos que usam capachinho
De on a 13 de Novembro de 2009 às 09:11
pois...

... sobre isso, é melhor não perguntares ...
De S a 13 de Novembro de 2009 às 14:04
Então não tenhas.
Porque eu sou platónica. Até mais do que devia.
De S a 13 de Novembro de 2009 às 14:08
Óptimo.
Até porque é um fraquinho enorme.
Apesar de ele não usar capachinho nenhum.
É lindo.
E agora também há o Nuno, que é tão... enfim.
De S a 13 de Novembro de 2009 às 14:09
... pois...

... então, sobre isso, mantenho: nem pergunto.
De on a 14 de Novembro de 2009 às 11:15
ele quem?
não percebi a quem te referes.
De S a 14 de Novembro de 2009 às 16:37
Ao líder de um partido político.
Não era disso que estavas a falar?
De on a 14 de Novembro de 2009 às 23:59
era!
do lider de partido político que não tem capacinho.



...



Quem será?

De on a 15 de Novembro de 2009 às 16:24
Claro!
é o Paulo Portas vque não usa tal coisa!
De S a 16 de Novembro de 2009 às 15:56
:)
Será?!
De on a 17 de Novembro de 2009 às 16:49
O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-C-H-I-N-H-O!O-P-A-U-L-O-P-O-R-T-A-S-N-A-O-U-S-A-C-A-P-A-
De S a 17 de Novembro de 2009 às 23:14
C-H-I-N-H-O!
De S a 17 de Novembro de 2009 às 23:18
Acho melhor que cries uma barreira qualquer, no teu blog, aos meus comentários...
Dou-te... 24 horas, nem mais um Independen... ai, segundo.
De on a 18 de Novembro de 2009 às 23:04
ok!
De S a 18 de Novembro de 2009 às 23:08
Mesmo a tempo... :)
Mas eu sou obstinada, sabes?
De on a 20 de Novembro de 2009 às 14:34
shiiiiiiiiiiiiiii.........
O melhor é eu não voltar ca.
Com tantas ameaças espalhadas por aí.....
De S a 21 de Novembro de 2009 às 01:04
:)
Não precisas de arranjar desculpas esfarrapadas, se não queres voltar.

Comentar post