origem

Mail me

blogseve@gmail.com

Posts Recentes

Ossian

E por vezes

Liberdade?

Conselhos para todas as f...

Pois...

La femme comme il faut

Da divindade

Dos dias

My Panama Papers

Do vazio

Blogs especiais

Arquivo

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2015

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Detector de movimentos

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Sexta-feira, 27 de Junho de 2008

Contagem (de)crescente

 

E se eu vos disser que a vida de cada um de nós cresce, e que esse crescimento não se mede em anos, nem em meses, nem em semanas, nem em dias, nem em horas, nem em minutos, nem em segundos?

 

Fazem alguma ideia de como se mede a vida de cada um de nós?

 

Ou estão demasiado ocupados para pensar na resposta?

 

publicado por S às 23:49
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Segunda-feira, 23 de Junho de 2008

Nada

 

 

 

Sem a loucura que é o Homem

mais que a besta sadia,

Cadáver adiado que procria?

 

Fernando Pessoa

 

publicado por S às 14:43
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Domingo, 22 de Junho de 2008

Três palavras

 

 

Sanus

 

Per

 

Aquam

 

 

(São giras, não são?)

publicado por S às 00:01
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sábado, 21 de Junho de 2008

Bem vindo

 

Começou aos 59 minutos de hoje.

 

Espero que venha em força.

 

E para ficar.

 

Mas isto é o que eu espero.

 

O que vai, de facto, ser...

 

Verão.

publicado por S às 02:23
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 19 de Junho de 2008

Só mais uma coisa...

 

 

Já olharam bem para a Lua, hoje?

 

Mas mesmo bem?

 

 

Garanto-vos que está diferente.

 

Olhem lá outra vez...

publicado por S às 00:26
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quarta-feira, 18 de Junho de 2008

Depende dos dias

 

Ou assim, ou ao contrário.

 

Ou assim e ao contrário.

publicado por S às 00:25
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 16 de Junho de 2008

How to save a life

 

 

Eu soube.

Sem saber como.

 

E sabe tão bem...

 

 

 

 

publicado por S às 23:42
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 15 de Junho de 2008

Sem palavras, mas só porque eu não sou católica

publicado por S às 22:46
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 14 de Junho de 2008

Tiro ao alvo

O meu relógio parou, num dia 11, a contagem dos dias.

Não sei de que mês, porque só reparei ontem.

Os segundos, os minutos e as horas continuam alegremente a passar.

Mas os dias pararam no 11.

É possível que esteja assim há meses, é possivel que esteja assim há apenas três dias, o que me leva às questões seguintes:

 

Há quanto tempo perdi a noção do tempo?

Há quanto tempo não olho para o meu relógio sem pressa?

Há quanto tempo (adoro este efeito visual de começos de frases repetidos) não escrevia disparates como se estivesse a escrever a coisa mais séria do mundo?

 

Demasiado.

O tempo é uma coisa estranhíssima.

Passa por nós tão depressa, às vezes tão devagar e tão enganadoramente leve e afinal tem um peso tão... avassalador.

 

 

Aquele título "Curiosidades", que deveria ter tido um post há uns dias, ficou arrumado num canto. Mas não me sai da cabeça. Anda aqui dentro, de um lado para o outro, impaciente.

Falei sobre o assunto com o meu médico e, quando esperava uma reacção em forma de um encolher de ombros desconcertado e clichés, recebi apenas um sorriso e um olhar profundamente silencioso.

 

Fiquei mais descansada.

Ainda por cima, nem falou em internar-me.

 

"O sentido da vida, se é que existe algum. Alguém sabe?

O que é que nos move?

Já repararam que, pelo menos aparentemente, não passamos de aglomerados de experiências, de vitórias e derrotas, em busca da vitória derradeira?

E que, no final da linha, em vez de recebermos a medalha, apenas... acabamos?

 

É suposto querermos mais, quando temos a já tão rara hipótese de viver?

Será a solidão o pior inimigo do sentido da vida, porquanto não nos permite qualquer distracção na busca das nossas vitórias e, consequentemente, nos faz ver mais de perto e apenas com os nossos olhos os resultados dos nossos fracassos?

E sendo ela o pior inimigo, não fará do amor o extremo oposto? Aquele que nos ilude no sentido contrário e que nos faz aceitar quase tudo sem questionar a sua lógica, que nos ofusca a capacidade de olharmos mais demoradamente aqueles que o não têm e nos impede de lutar para que, também esses, passem a tê-lo?

 

Onde está o meio termo, então?

Passar a vida inteira a praticar tiro ao alvo.

E não desistir de querer saber onde está o alvo.

Só assim existirá uma maior probabilidade de alguém o descobrir. E de partilhar a descoberta com os que o procuram."

 

E vocês? Já comeram fruta, hoje?

 

publicado por S às 14:40
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 13 de Junho de 2008

Basta!

 

 

A partir de...

 

 

...

 

 

 

agora.

 

 

 

(Prometo saquear apenas o que me for permitido e sem usar violência... OK, muita violência. Um género de... Pirataria Budista, digamos. Ou Budismo Pirata, pronto.)

publicado por S às 16:51
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito