origem

Mail me

blogseve@gmail.com

Posts Recentes

Ossian

E por vezes

Liberdade?

Conselhos para todas as f...

Pois...

La femme comme il faut

Da divindade

Dos dias

My Panama Papers

Do vazio

Blogs especiais

Arquivo

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2015

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Detector de movimentos

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Sexta-feira, 30 de Junho de 2006

Isto faz-me lembrar a história do ovo e da galinha...

Nunca simpatizei muito com o anúncio a uma marca de leite. E como nunca simpatizei, nem vou dizer a marca.

Até porque a Matinal não me paga para fazer publicidade.

Mas nunca gostei desse tal anúncio.

E juro que não tem nada a ver com o facto de não gostar de leite.

Hoje, quando vinha para casa, ouvi qualquer coisa relacionada com o efeito do amor dos outros em nós. Que deviamos pensar na forma como nos revemos no amor que alguém sente por nós.  Claro que, assim que começo a ouvir a Celine Dion cantar "Because you loved me", pensei seriamente em aceitar o slogan do anúncio e não pensar mais no assunto.

Mas depois percebi que a inveja é uma coisa muito pouco mais ou menos aceitável. E decidi repensar a questão.

Diz o slogan

"Se eu não gostar de mim, quem gostará?"

É uma pergunta que traz água no bico. Se eu não estivesse tão empenhada em dizer uma coisa importante, a coerência deste post acabava já aqui. Este é o meu limite de seriedade.

No entanto, e como estou em pulgas para provar a minha teoria, vou manter-me séria até ao fim.

Até quase ao fim, pronto. (Lá se foi a coerência...)

A questão é

E se ninguém gostar de mim? Não é muito pior? Porque aí, é muito provável que nem eu goste. Se ninguém gostar de mim, é porque há motivos para isso. É porque sou insuportável, no mínimo.

Mas

Se eu não gostar de mim porque tenho uma auto-estima subnutrida, não quer dizer que não valha nada na realidade. E assim sendo, pode haver quem goste e acabe por fazer-me gostar também.

Já passamos tanto tempo e gastamos tanta energia a olhar para o nosso umbigo, que agir em função de ideias como esta, é apenas mais um passo para a subversão da realidade no que diz respeito à importância que o outro tem, nas nossas vidas.

Mesmo que eu não goste de mim e me comporte de uma forma que evidencie esse facto, pode existir alguém empenhado em ensinar-me a mudar de opinião.

E a verdade, é que isso pode muito bem acontecer.

...

E, portanto, o que eu queria dizer era que...

(Vou só ler isto outra vez)

Ou seja, o que eu achava importante dizer era que... (Às vezes -e isto é muito sério-, acontecem coisas estranhíssimas. Eu achava que era importante. Achava mesmo. Mas depois de escrever isto tudo... E não tem nada a ver com aquilo da coerência até quase ao fim, nem nada. É mesmo sério. Até porque acho que estou a ser coerente, ainda. Quer dizer... não estou a ser menos do que fui até agora, é isso.)

Não gosto de leite. Mas gosto dos derivados. Pronto. Achei importante dizer.

Portanto, se eu gosto dos derivados, eles também devem gostar de mim...

publicado por S às 01:44
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 29 de Junho de 2006

Sem palavras. Ou melhor, apenas duas.

Não percebo.

(E começo a não gostar de chineses. Depois queixam-se! Não será por coisas deste género que existe a xenofobia? No meu caso, parece-me muito provável.)

publicado por S às 12:09
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 28 de Junho de 2006

Eu já desconfiava...

Mas agora, tenho a certeza.

Gosto da Alemanha.

Não sei porquê.

 

(Até sei, mas ninguém tem nada a ver com isso. Nem eu.)

(Além disso, já passaram alguns dias desde o último post e apeteceu-me actualizar isto.)

 

publicado por S às 00:17
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Domingo, 25 de Junho de 2006

Sobre o que vemos e como reagimos

"Exige muito de ti e espera pouco dos outros."

Confúcio

Há uns dias,  passei por vários blogs com posts sobre a irritação dos autores quando encontravam erros ortográficos num qualquer texto. Como não tenho nada contra o facto de se falar na forma pouco... cuidada, com que se escreve por aí, não discordei. Não disse nada.

No entanto, não há uma única vez que leia um comentário menos abonatório ou uma correcção feita por alguém e que não pense "Mas por que raio as pessoas têm esta necessidade de corrigir erros de outros?".

Parece-me a mim (Eu sei que o "a mim" é desnecessário, mas gosto da forma como soa, correctores. Posso?!), que escrever correctamente está ao alcance de qualquer pessoa. Basta que exista interesse. Tal como para TUDO na vida.

Então, para quê expôr pessoas que não querem saber, que não valorizam esse aspecto das suas vidas, a uma correcção? Por muito que digam que agradecem o facto de as terem corrigido, não deixa de ser qualquer coisa como "Eu sei e tu não sabes."

Não podemos ficar apenas por  "Mais um que não tem o mesmo interesse que eu.", e a coisa morre ali?

Eu, por exemplo, tenho uma dedicação extrema à ortografia. Não consigo escrever sem cuidado. Se tenho dúvidas, pesquiso ou contorno a palavra usando um sinónimo. Às vezes, reformulo frases inteiras. Sou incapaz de, perante a incerteza, arriscar errar. Não gosto de palavras mal escritas. Ou melhor, detesto escrever palavras mal escritas.

E sei que raramente o faço. Porque tenho interesse nisso.

Mas não faço a mais pequena ideia sobre... a localização geográfica da Índia. E não estou a brincar.

Ninguém pode ser bom em tudo. Aliás, ninguém deve ser bom em tudo. Para poder ser muito bom em muitas coisas.

(O que eu tenho de inventar para conseguir escrever um texto com mais de 20 palavras...)

publicado por S às 01:25
link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito
Sábado, 24 de Junho de 2006

O tempo que não vai estar

 

No início da próxima semana, não vai haver tempo, aviso já.

Nem sol, nem chuva, nem vento, nem nada.

 

Só nos Açores é que há tempo.

E mesmo assim, não será em todas as ilhas.

 

Anos e anos de acusações ao Instituto Nacional de Meteorologia só podiam dar nisto.

Já nem arriscam uma previsão, só com receio de falhar...

 

Não se faz.

publicado por S às 00:46
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 22 de Junho de 2006

Ora aqui está ele!

Prometi, cumpro.

 

Este post  é maior.

Tem mais palavras e ocupa muito, mas mesmo muito mais espaço do que os anteriores.

Vá, contem. Comparem.

Tenho ou não tenho razão?

Cumpro ou não cumpro as promessas que faço?

 

Prometi, cumpro.

 

Este post  é maior.

Tem mais palavras e ocupa muito, mas mesmo muito mais espaço do que os anteriores.

Vá, contem. Comparem.

Tenho ou não tenho razão?

Cumpro ou não cumpro as promessas que faço?

 

 

O dobro, meus amigos. O dobro dos anteriores. Viram?

 

(Às vezes, pergunto-me em que parte, exactamente, terá a coisa corrido mal para eu chegar a este ponto. Mas depois, a resposta surge e então eu sossego. A coisa nunca correu bem, ponto final. Ando desde o início a tentar fazer qualquer coisa decente, aqui. Como ainda não consegui, não há comparação possível. A partir daqui, há-de ser sempre a subir.)

publicado por S às 01:20
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Segunda-feira, 19 de Junho de 2006

Dia 19 é um bom dia para mudar alguma coisa

Vou começar a escrever posts com mais palavras, vou tirar o barquinho dali e...

e...

 

e também...

 

...

 

E pronto!

 

Para começar, não está mal.

 

Depois...

 

O título vai ficar.

publicado por S às 16:50
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito

Outra vez??!



What Famous Leader Are You?
personality tests by similarminds.com
Passou um ano e estou na mesma?!
Que monotonia.
publicado por S às 01:26
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Domingo, 18 de Junho de 2006

Grão a grão

 

Era eu, a areia, o mar e o céu.

Tão pouco e tanto, ao mesmo tempo.

(Estou a acabar um curso para aprender a escrever posts maiorzinhos, tenham calma.)

publicado por S às 19:50
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 16 de Junho de 2006

Em dias assim...

 

Odeio este tempo.

Nem sei bem porquê. Talvez porque...

Adoro este tempo.

 

publicado por S às 15:28
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito