origem

Mail me

blogseve@gmail.com

Posts Recentes

Ossian

E por vezes

Liberdade?

Conselhos para todas as f...

Pois...

La femme comme il faut

Da divindade

Dos dias

My Panama Papers

Do vazio

Blogs especiais

Arquivo

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2015

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Detector de movimentos

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2005

Façam acontecer...

Passion Fruit Flower.jpgpassion fruit.jpgPassion Fruit Cheesecake.jpg

Transformar o Mundo:

Cultivar a melhor parte de nós, colhê-la e oferecê-la aos outros.

Um excelente 2006 para todos.




publicado por S às 23:15
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Quarta-feira, 28 de Dezembro de 2005

Voar

Lyra sobrevoada.jpg


Estou muito feliz por ti, Lyra.

publicado por S às 13:03
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Terça-feira, 27 de Dezembro de 2005

Coincidências... Ou sintonias...

mail[1].jpg

( A propósito de mãos de criança... )


- Mãe...


- Vá lá, Maria, está na hora de dormir...


- Sabes o que é que eu estava aqui a pensar?


- Diz...


- Eu, quando nasci, fiquei muito feliz.


- Foi?! Eu também fiquei muito feliz, quando tu nasceste!


- (suspiro)...


(...)


- Maria...


- Sim, mãe...?


- Isso quer dizer que não és feliz, agora?...


- Não! Eu sou muito feliz. Mas quando nasci fiquei mesmo muito feliz, porque se não tivesse nascido, não havia (conta pelos dedos) mãe, pai, Bá, avô, tio, tia, primo... e...


- Ok, ok... já percebi!


- Mas, mãe!, deixa-me só acabar esta mão... e cão.


- Pronto, agora dorme.


 


( ...cabe mesmo lá, o mundo inteiro! )

publicado por S às 02:48
link do post | comentar | ver comentários (17) | favorito
Domingo, 25 de Dezembro de 2005

Boa viagem, Pai Natal

fotos web cam 001.jpg

A pureza de um gesto.

A magia de uma crença.

Na mão de uma criança.

Bem vindo e obrigada pelos sorrisos.
publicado por S às 00:01
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Quarta-feira, 21 de Dezembro de 2005

Bem vindo, Inverno.

inverno.jpg

Mais um ciclo que termina.

É isto, a vida.
publicado por S às 23:51
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito

Eu acho que os homens só dão trabalho...

martevenus.jpg


 


Não me apetecia nada, mas como não resisto a desafios, azar o meu...


 


As mulheres não vêem as relações com os homens de forma nenhuma.
Primeiro, porque as mulheres sentem, muito mais do que qualquer outra coisa.
Depois, porque as relações entre homens e mulheres (e estou a referir-me apenas ao contexto amoroso da coisa) são uma autêntica tragédia.
Como toda a gente sabe, as mulheres são seres completamente histéricos, que fecham os olhos e tapam os ouvidos, quando confrontadas com tragédias.

Conclusão: acabam por não perceber a sorte que têm, por passarem a vida ao lado de um ser com um potencial enorme para fazer com que elas se sintam seres superiores. Que o são. Há dúvidas?

Como machista que sou, ocorre-me dizer que a felicidade suprema de qualquer mulher, seria que todos os homens fossem como Zézé Camarinha.
Mas à falta de melhor, e como a realidade está muito longe disso - porque apesar de muitos pensarem como ele, poucos o assumem -, podiam ao menos, oh homens de todo o Mundo, parar de fingir que querem perceber as mulheres.
Vocês sabem que não podem. No fundo, vocês sabem. Procurem lá melhor...
Tinham de comer muitos bifes... e mesmo assim, só se fossem cozinhados por vocês.

...

E pronto. Agora que me vinguei do tipo da EMEL, vamos lá falar a sério, sobre relações entre homens e mulheres.

...

Eu acho que os homens dão imenso trabalho. Mas são uns queridos. Acho que todas as mulheres deviam ter um. São um desafio aos nossos sorrisos.
publicado por S às 01:22
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 20 de Dezembro de 2005

Querido Pai Natal...

sorriso.jpg

sorriso2.jpg


É tudo o que quero.

...

Mas já que vai ter uma trabalheira enorme a descer pela chaminé...

...

... pode ser mais uns livros (dois, de preferência), neve, imenso salmão fumado, um gatinho, um Azimut (qualquer um, que eu não sou exigente)...

...

AH! E uns chocolates para as miúdas... já agora.
publicado por S às 00:39
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Sexta-feira, 16 de Dezembro de 2005

Amem, mulheres. Amem muito.

<img alt="La passion - Monet.jpg" src="http://blogseve.blogs.sapo.pt/arquivo/La passion Monet.jpg" width="115" height="149" border="0" "(...) Só não vê quem não sabe, não pode, não ama ou não merece, mas há fadas, dríades, danaides, duendes, dáctilos, faunos, gnomos, hamadríades, ninfas, nereidas, graças, náiades e napeias girando em torno das mulheres que falam ou fluem de amor. (...) Enquanto houver mulheres alegres ou tristes falando, enflorando, fluindo e influindo de amor, a humanidade pode ter alguma esperança. Há vida a pulsar sob o suicídio contemporâneo. Enquanto houver mulheres a atrasar o serviço, a enganar o poder, a «driblar» os zagueiros para falar de amor ou nele pensar, o mundo está salvo. Enquanto houver mulheres aflitas para contar, escrever cartas, diários, ou apenas reviver a conversa de ontem, isso significa que a vida vai vencer, ainda que sobre os escombros do mundo do poder boçal, dos titãs detentores da ordem material. (...)" Artur da Távola in "Do amor - Ensaio de enigma" *** Este homem, ou comeu alguma coisa com data de validade bastante ultrapassada, ou devia ser canonizado. Vão por mim.
publicado por S às 01:22
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Terça-feira, 13 de Dezembro de 2005

Parabéns!

calvin.jpg


 


 Este caramelo faz mais um aninho, hoje.


(o verde É propositado, é)


Pela generosidade de me ofereceres a tua amizade, dedico-te este post.


É pouco, mas é de coração...


 


... e além disso, quem dá o que pode, a mais não é obrigado, sabias?... Achas pouco, não?!


Se reparares bem, até tem VERDE nas letras. É uma honra, percebes?


E não digas que vais daqui.


 


 


PIOLHOSO.


 


PS: PARABÉNS!

publicado por S às 00:43
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Segunda-feira, 12 de Dezembro de 2005

As outras

bilioes.gif


Muitas vezes, dou por mim a pensar no motivo pelo qual existem pessoas que são incapazes - ou têm imensa dificuldade, quando confrontadas com esse assunto - de pensar um pouco para além do que conhecem. Das coisas triviais, da vida do dia a dia.

Assusta-me. Não me incomoda que pessoas que eu conheço, e que até significam bastante para mim, não se dêem ao trabalho de ter uma atitude diferente. Mas acho tão triste...

Sabemos de galáxias distantes. Podemos vê-las, até. Sabemos como a vida é gerada. Sabemos que é o mistério dos mistérios.

Por que é que sabemos estas coisas? Porque queremos saber. Porque procuramos respostas.

Como é possível que nem toda a gente as procure?
Como é possível que não se procure compreender o que é a vida?

O Mundo parece um filho único. Mimado. Caprichoso. Egoísta.

Não era suposto ser assim. Mas somos nós que o criamos. Somos nós que estamos a educá-lo assim. Para quê?
publicado por S às 01:07
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito