origem

Mail me

blogseve@gmail.com

Posts Recentes

Ossian

E por vezes

Liberdade?

Conselhos para todas as f...

Pois...

La femme comme il faut

Da divindade

Dos dias

My Panama Papers

Do vazio

Blogs especiais

Arquivo

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2015

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Detector de movimentos

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Domingo, 31 de Julho de 2005

De vez em quando, sou tão tendenciosa... Mas é só de vez em quando!!

Há relativamente pouco tempo emiti uma opinião precipitada, a propósito de uma música, num post da minha Lyra.


...


Pois é.


Voltei a mudar de ideias. Afinal, gosto da música.


Nããão...!


Claro que não...!, que disparate!


Tem lá agora!!


Que absurdo!! 


Não tem nada a ver com o facto de ter, finalmente, visto a carinha do Nuno Norte...

publicado por S às 03:14
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito

#"(%$)(/&/"( ...!

Acho que me precipitei...

Fiquei sem proa...

E agora?
publicado por S às 01:13
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Sexta-feira, 29 de Julho de 2005

Errata

Desculpem, voltei a mudar de ideias.

Prólogo:

Não sei se mencionei este acontecimento num post, ou num comentário. Mas tenho quase a certeza de ter falado nisto aqui (Não me apetece dar-me ao trabalho de ir confirmar).

Há uns dias, quando me preparava para estacionar o carro, perto do meu local de trabalho, reparei que não vinha nenhum carro atrás.

Travei, pisca para a direita, e marcha atrás, acto contínuo.

Apercebi-me, então, que se aproximava um táxi a uma velocidade lenta, com o condutor a olhar para o passeio, motivado pelo gesto de uma mulher que solicitava os seus serviços.

O táxista, cavalheiro, foi deixando o táxi aproximar-se da traseira do meu carro, para encurtar o caminho de acesso, à cliente. Fiquei como estava, a apreciar a cena.

A mulher entra no táxi, fecha a porta, e o táxista, finalmente, lembra-se de olhar para a frente.

Obviamente, com a curta distância que separava a frente do táxi da traseira do meu carro, ele não conseguia ver a luz laranja, a piscar... a piscar...

Fez-me sinal, como quem diz "Então?!". Eu, pelo retrovisor, respondi-lhe com os olhos "Então também para si, amigo.". Passou para os gestos, descoordenados na minha modesta opinião.

Olhei para ele, desta vez por entre os bancos da frente, e apontei para o lugar vago, mesmo ao lado dele.

Lá se convenceu de que, se não saísse dali, eu também não saía. (Reparem!, eu não saía, porque tinha um semáforo à minha frente, encarnado, que me impedia de avançar... Ok, entretanto já devia ter ficado verde, mas eu tenho o meu orgulho!!).

Furioso, como só um bom táxista sabe ficar, lá arranjou forma de pôr o carro dele paralelo ao meu. Abriu o vidro do lado direito (Felizmente, era eléctrico. Se não fosse, eu não ia conseguir controlar o riso...) e chamou-me um nome feio. Acho que ia chamar um muito feio. Mas fui muito rápida no meu sorriso nº 3, que associa manipulação a sedução, e só é usado em casos extremos.

A vida foi injusta comigo, nesse dia.

(O prólogo já acabou há imenso tempo, mas enretanto, esqueci-me de fazer referência ao seu término e, mais uma vez, não me apetece ir lá atrás para deixar a coisa bem feita.)

Hoje, quando saí do trabalho - não sei se já tinha dito, mas eu... exactamente! -, entrei no carro e uma luz de aviso do nível de qualquer coisa, indicou-me que era melhor não arriscar. Como vinha cansada, nem pensei duas vezes.

E fui buscar a embalagem do óleo lá atrás para repôr o nível. Ok. Levou quase um litro. Quando verifiquei o nível, na vareta, obtive a confirmação de que estava a precisar. Passados uns segundos, o nível estava óptimo.

Entro no carro, e a luz novamente acesa. Pensei "Bem, és um pouco lento a assimilar informação, mas não há problema. Eu espero."


Luz acesa. Luz acesa. Luz acesa.

"Queres ver que a luz desfundiu-se? ("des"= contrário, boa? Inventei agora mesmo!)

Aproximei-me e vi a lâmpada de Aladino. Apagadinha.

"Olha! Enganei-me! Não era a do óleo. Então..."

Ah, óptimo! Radiador. Vamos lá então, recomeçar (Por acaso, até suspirei de alívio, porque no atesto do óleo, não fiquei com as mãos suficientemente sujas. Nova oportunidade. Que bom! A sério. Adoro ficar com as mãos cheias de óleo, quando mexo no motor.).

"Ora então, agora é muito simples... desenroscar a tam... desenroscar a t... D-E-S-E-N-R-O-S-C-A-R-A-T-A-M... Raios!! Olho à minha volta, relógio, quase onze da noite, o Técnico ali tão perto... "Bonito!", pensei. "Vou ali pedir às meninas se me emprestam o cliente por uns minutos, só para abrirem aquela porcaria...".

Tento novamente. Nada.

Olho para o lado, e que vejo eu?! Um táxi, parado no semáforo. O TAL semáforo.

- Desculpe, pode ajudar-me a abrir o radiador? (Sorriso nº 2, nunca falha!!)

- Claro!

Deu voltas, e mais voltas. Nada.

- Não abre mesmo, não é? Deixe estar. Obrigada, de qualquer forma.

- Tem um martelo, ou qualquer coisa para bater?

- (Oh, meu Deus! Isto, só a mim...) Tenho aqui uma lata. Serve? (Ri-me, sem dar muito nas vistas).

E lá foi o táxista à mala do táxi, enquanto eu fechava a minha.

Não sei o que fez, nem como fez. O que interessa, é que a tampa estava inteira, intacta, e desenroscada.

E pronto. Neste momento, eu e os táxistas temos as contas acertadas.

Afinal, a vida é justa. Por mais que eu queira admitir o contrário.

Faz-me sentir tão próxima de Galileu...

A vida é injusta...

... e contudo, ela move-se.
publicado por S às 02:42
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Quarta-feira, 27 de Julho de 2005

Sobre a vida


A vida, às vezes, é injusta. Outras, nem por isso.

Para quem a vida já foi injusta, o meu abraço apertado, de compaixão.

Para os outros...

Para os outros...

Não.

Um abraço apertado para mim também.


E agora, com licença.


Vou ver um programa qualquer, que mostre umas leoas a caçar gazelas...

... e não vou fechar os olhos.



(É bem provável que tenha havido uma infiltração no meu cérebro, depois desta chuva...)
publicado por S às 23:46
link do post | comentar | ver comentários (23) | favorito

A chuva



A chuva deixou-me assim.

Este blog vai ser inundado pelo vazio.

Sou demasiado orgulhosa, para pedir a alguém que me dê ideias, sobre o que escrever.

(Vejam lá no que eu me estava a meter... estou mesmo a precisar de ir à consulta...)

(Como se eu precisasse de ideias!)

( Não preciso. Querem ver?)

A chuva, finalmente, caiu.

Isto faz-me ter tantas ideias, sobre o que escrever, que nem sei por onde começar...

Vou pensar.

Já volto.
publicado por S às 13:45
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Terça-feira, 26 de Julho de 2005

Cheio

desenho Maria.jpg


(Está bem, pronto... Confesso que não fui eu que fiz...)


(Pronto, está bem... Admito que a Maria desenha (muito) melhor que eu...)
publicado por S às 01:44
link do post | comentar | ver comentários (28) | favorito
Segunda-feira, 25 de Julho de 2005

Vazio

Acho que vou publicar um desenho, para encher mais isto...

publicado por S às 15:48
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Domingo, 24 de Julho de 2005

Isto está tãããão parado...



Hoje fui à praia...
publicado por S às 01:39
link do post | comentar | ver comentários (21) | favorito
Sexta-feira, 22 de Julho de 2005

Sublime

M100.jpg


 


Digam-me:


O que sentem, quando olham para esta imagem?


É só a mim, que as lágrimas caem? 

publicado por S às 17:07
link do post | comentar | ver comentários (21) | favorito
Quinta-feira, 21 de Julho de 2005

À(l) minha gémea

Sabias que adoro esta língua, Lyra?


Claro que sabias. Somos gémeas!


Obrigada. É lindo!


 


"Yo creo que en todo el cuerpo habitan pensamientos, aunque no todos vayan a la cabeza y se vistan de palabras. Yo sé que por el cuerpo andan pensamientos descalzos. Cuando los ojos parecen estar ausentes porque su mirada está perdida y porque la inteligencia se ha retirado de ellos por unos instantes y los ha dejado vacíos, y mientras los pensamientos de la cabeza deliberan a puerta cerrada, los pensamientos descalzos suben por el cuerpo y se instalan en los ojos. Desde allí buscan un objeto para clavarle la mirada y parecen víboras que hipnotizan pájaros"


Felisberto Hernández


 


Eu ofereço-te isto:


É TEU!


 


Mz3.jpg

publicado por S às 12:41
link do post | comentar | ver comentários (45) | favorito