origem

Mail me

blogseve@gmail.com

Posts Recentes

Ossian

E por vezes

Liberdade?

Conselhos para todas as f...

Pois...

La femme comme il faut

Da divindade

Dos dias

My Panama Papers

Do vazio

Blogs especiais

Arquivo

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2015

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Detector de movimentos

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Sexta-feira, 29 de Abril de 2005

Está tudo convencido, ou ainda não...?










L E Ã O


(É uma pena, mas não consigo letras maiores...)
publicado por S às 00:55
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
Quinta-feira, 28 de Abril de 2005

O sapo, e o leão com a mania das grandezas...

gmail.jpg


O nome do sapo é D. Afonso.


Para que fique claro.


D. Afonso
. Um sapo com a mania de reduzir gatinhos à sua insignificância.


(Já vos tinha avisado que sou vingativa, quando me mostram a realidade?)


(Desculpem...)



Tenho o péssimo hábito de ser extremamente vingativa, quando me fazem ver a realidade.


Eu sei que não se nota nada... porque me esforço imenso... :)


PS:

Aquilo, ali em cima, no título, foi um acto falhado. O que significa, que eu me considero um leão, e ainda por cima, tenho a mania das grandezas.

Reformulando:

Existe uma hipótese (ínfima, obviamente), de eu ser, na realidade, um gato.

Vou averiguar...
publicado por S às 00:20
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Quarta-feira, 27 de Abril de 2005

Por todas as razões e mais alguma...

C. de auto-estima.GIF
publicado por S às 14:18
link do post | comentar | ver comentários (24) | favorito
Quinta-feira, 21 de Abril de 2005

Repto

Quando não tiverem nada para fazer, entretenham-se a deixar comentários aqui, por favor.



Se chegarem aos 100, podem pedir-me o que quiserem...


 


(Ui...)


 


(... Nem vou pensar muito nisto...)

publicado por S às 14:02
link do post | comentar | ver comentários (61) | favorito

Não vás ao médico, não...




É MEIA-NOITE!


 


(Não comentem...)


 


(Isto está mau...)


 


(Deu-me. Mas passa rápido.)


 


 

publicado por S às 00:01
link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
Domingo, 17 de Abril de 2005

Só me saem duques...

ex-libris da tugosfera.bmp
(Toda a gente começa com esta imagem. Parece que é condição sine qua non, para se poder participar.)

Não!

Eu não tenho aversão a este género de coisas!

Aversão é pouco.

Mas, muito bem. Vou fazer um esforço, para que ninguém pense que não estou à altura de desafios, ainda que feitos por amigos da onça... (http://ummundomagico.blogs.sapo.pt)  

"Cadeia literária"! (Não era nada mal pensado, como nome de espaço reservado a manter inactivo, todo o ser que se lembra de inventar estas coisas...).

Já tentei. Juro que já tentei. Mas não estou a conseguir editar links, neste post (nem em nenhum outro, mas isso agora...).

Portanto, vai tudo assim, em cru. Arranjem-se como quiserem.




Não podendo sair do Fahrenheit 451, que livro quererias ser?



Eu sei lá o que é isso do Fahrenheit 451!! EU TRABALHO! Não tenho tempo para essas coisas... Mas, a querer ser um livro, quereria ser o "Biliões e biliões" de Carl Sagan. Gostava de ter a capacidade de conter uma parte do fascínio do Universo, dentro de mim.  (Estive bem, não estive? :)) Ou  "O Mistério dos mistérios" de Clara Pinto Correia.



Já alguma vez ficaste apanhadinha(o) por um personagem de ficção?



Eu??! A mim, ninguém me apanha! E os personagens de ficção não correm, que eu saiba... (Os anúncios ao Martini... não contam, pois não?)



Qual foi o último livro que compraste?



O último que comprei, foi "TAI CHI - A alma do corpo" de Bibi Perestrelo. Mas este não conta. Foi só para me armar... Antes desse, "O verdadeiro papel do pai" de Jean le Camus.




Qual foi o último livro que leste?



"O jogador" de F. Dostoiévski. Antes deste (e porque há alguém que espera que eu mencione este autor umas trinta vezes, no mínimo...), "Memória de elefante" de António Lobo Antunes.



Que livros estás a ler?



Nisto de leituras, como em quase tudo, sou muito exclusivista. Leio um livro de cada vez, e gosto de ser a única a lê-lo, até acabar. Nada de páginas marcadas por outros, enquanto leio. Estou a reler "Inventar o Homem", de Albert Jacquard.



Que livros (5) levarias para uma ilha deserta?



Sem outro critério que não fosse ler os livros que tenho e (ainda) não li, levaria "Não entres tão depressa nessa noite escura", de Lobo Antunes; "Ao encontro de Espinosa", de António Damásio; "O gene egoísta" de Richard Dawkins; "Orlando" de Virginia Woolf ; "O código Da Vinci" de um Dan "qualquer coisa" ( o único que não tenho), porque podia estar frio, na ilha, ou podia precisar de alguma luz, se me apetecesse ler à noite...




A quem vais passar este testemunho (três pessoas) e porquê?



Aqui vigora a regra do "passa ao outro e não ao mesmo"?

Olha que pena!

Nesse caso, vou passá-lo à Angel
(http://donadecasa.blogs.sapo.pt)

porque sei que vai falar do "Código", e eu quero saber o último nome do Dan.

Ao Arqpatricio
(http://guerradsexos.blogspot.com)

porque quero saber o que anda a ler, para ter uma opinião tão negativa sobre mulheres.

Finalmente, ao digníssimo AC
(http://alertaamarelo.blogs.sapo.pt)

porque há imenso tempo que não me brinda com um comentário, e eu sou muito vingativa (além disso, espero que nem se dê ao trabalho de aceitar este absurdo, começando já aqui o meu contributo para acabar com isto.).




E se me voltam a fazer uma coisa idêntica... nem sei...



Lá se foi o meu Domingo...



Agora, ao menos, comentem as escolhas. É o mínimo!!


 


--------------------------------------------------------------------------------------------------------- Algumas horas mais tarde...

(Já me precipitei...)



(Vou tentar disfarçar.)



... (assobio e olho para o ar)...



Ah!, é verdade...




Pensei melhor, e resolvi acrescentar que o livro da minha vida é "O amor nos tempos de cólera", de Gabriel García Márquez.


 



Como tal, mudei de ideias e, em vez de insinuar que este blog é frequentado por pessoas que trato por "digníssimo", pretendo passar o testemunho ao

Prozacland
(http://daprosa.blogspot.com).



Não é por nada. Apeteceu-me.




(Alexandra, se me precipitei novamente, serás a próxima...)

publicado por S às 19:37
link do post | comentar | ver comentários (39) | favorito
Sexta-feira, 15 de Abril de 2005

Cá está ele!

* * * * * * *
* * * * * * *
* * * *
* * * * * * *
* * * * * *
* * * * * * *
* * * * * *
* * * * * * * *
* * * * * *
* * * * * * *




É noite.

Não por fora.

Tenho a alma cheia de estrelas. (Isto começa a preocupar-me... Então não é que estou a escrever uma coisa, supostamente séria, e surgem-me, assim do nada, ideias parvas? Se não vejam: Uma alma cheia de estrelas, é uma alma estrelada!... Como um ovo. Portanto, o mesmo será dizer que tenho a alma frita! Não é que não esteja. Até porque já começa a roçar o esturricado... Mas este, é um devaneio abusivo. Queria uma coisa mais poética, que diabo!)


Adiante.


A minha alma, anoitecida, causa-me um desconforto subtil, dissimulado pela crença numa ausência de justificação plausível.



Tenho o suficiente. Tenho mesmo. Mas não chega. Porquê?


Nem sei especificar o que me atormenta. É uma falta. Isso eu sei. Mas de quê?


Agora, que iniciei uma viagem por dentro, que estou a visitar-me com outra atenção, que vejo que, por fora atingi mais um objectivo que me fortalece, sinto-me a perder paisagem interior.



Não sei gerir esta transformação. Não estou a saber. E fico assim, meio perdida...



É a isto que se chama crescer, suponho. Para mim, sempre foi um processo doloroso. Não seria agora que se tornaria fácil...


(Digam lá bem do bolo, por amor de deus...) :)



(Atenção: eu também sei falar sem ser por analogias mas, neste momento, não consigo. Quis partilhar-me convosco, sem no entanto me expôr demasiado. Deve ser por isso.)
publicado por S às 13:35
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Quarta-feira, 13 de Abril de 2005

Vá... toca a salivar...

F042.jpg



E então?


Que tal?


:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))



Sei, ou não sei?



(E não é que sobrou??! Cambada de anorécticos...!)
publicado por S às 00:26
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
Terça-feira, 12 de Abril de 2005

O meu Mundo

Filhotas.bmp




Mudou há dois anos.

Tinha, então, UM motivo para dar apenas o melhor de mim.


A partir daí, passei a ter DOIS.


É tão grande, tão intenso, que não cabe em palavras. Algumas vezes, nem em actos. É muito maior do que eu.


Ser mãe, sempre foi um desejo patente. Mas ser mãe destes dois seres, é sublime.



Nem a angústia que às vezes me invade, quando questiono os meus métodos e os seus resultados, é suficiente para fazer com que me sinta insegura.


Adoro-as. Tenho a certeza. E é isso que me impele a ser cada vez mais delas, melhor mãe para elas, a dar-lhes o suficiente. Quero-as sabedoras do amor que lhes tenho. Quero que saibam que, enquanto precisarem de mim, eu vou lá estar. EU VOU LÁ ESTAR. SEMPRE.


Parabéns, Martinha! (Se voltas a cravar chupas ao dono do café, acabam-se as gomas e faço-te uma tortura de cócegas...)

Espero que tenhas percebido que quando cantámos (Nas últimas vinte vezes...) "Parabéns a você", (Aquela das palminhas, sabes?) era para ti...


Quero que sejas muito feliz. E só por isso, vais ser. A mãe consegue sempre tudo o que quer (Um dia, ainda hei-de explicar-te o que é a manipulação psicológica...).
publicado por S às 16:02
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito

Vou ali e já volto...

Ora, então, vamos lá ao que interessa:


Primeiro: A tarte está feita, com um aspecto soberbo, e fotografada.


Segundo: Não consigo passar as fotos para o computador (Ainda não se fazem telemóveis com infra-VERDES, o que é que querem?).


Terceiro: Deve ser por causa da mousse de chocolate, que ficou cheia de inveja :).


Quarto: Fiz a cama e aspirei.


Quinto: Dos infernos, para isto!!


E agora, querem um texto sério, não é?


Aqui vai:


Às vezes, no silêncio da noite, eu NÃO "fico imaginando nós dois".

Tradução: Ais veizis nu silêncio dá noitchi, eu não fico imáginândo nóis dois...


Se querem que desenvolva, vão ter que pedir mais. Eu sou muito reservada, o que é que pensam...?!

publicado por S às 15:19
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito