origem

Mail me

blogseve@gmail.com

Posts Recentes

Ossian

E por vezes

Liberdade?

Conselhos para todas as f...

Pois...

La femme comme il faut

Da divindade

Dos dias

My Panama Papers

Do vazio

Blogs especiais

Arquivo

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2015

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Detector de movimentos

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Segunda-feira, 28 de Fevereiro de 2005

Que horas são?

relogio cozinha.jpg



Eu já não percebo nada disto!


Agora, que voltei a conseguir ficar acordada até esta hora, não consigo ser assidua.

Há aqui qualquer coisa que está a funcionar ao contrário.

Ainda por cima, este é o tipo de artigo que não convida ao comentário.

...

...


Bem, acho que vou tentar mais tarde... ou melhor, mais cedo.


... e é que, depois, também há o facto de não saber fazer coisas giras, como... sei lá... fazer aparecer um macaco com nariz de palhaço, de um rectangulo negro... ou então... publicar uma fotografia de algum politico mais baixinho que eu a dizer "amigos, conseguimos"... e coisas assim...


...

... é uma pena... mas não sei...


... e ouvi dizer que isso é que dá comentários... isso, e escrever "Titta" com "P"...

... enfim...


hmmm...


ENTÃO E O CHELSEA?! Grande Mourinho, não?

(pode ser que...)
publicado por S às 02:49
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Domingo, 27 de Fevereiro de 2005

Já passa da meia-noite?!

Aaaaaahhhhhhh!!...


Já não vim a tempo.

Um dia inteirinho sem escrever um artigo. BOLAS!!!


Bem... Lá vou ter de me justificar. Sim, porque deve estar imensa gente a questionar-se, neste preciso instante, sobre o motivo de tão imprevisível e sentida ausência...

Imagino a quantidade de pessoas que terão estado imóveis, quase de respiração sustida, em frente ao computador, à espera que o meu blog aparecesse na lista de actualizações...


Mas, meus amigos. O vosso drama acabou. Aqui está ele. Um artigo novinho em folha.


Agora, digam quem é amiga, digam... Muito bem!! É a Olga! (ainda há alguém que se lembre disto, ou o trauma foi demasiado forte?)


Como já deve ter dado para perceber, hoje é um daqueles dias em que não me ocorre nada de jeito para dizer.

Não consigo ignorar o apelo que ecoa na minha mente. E isto está a toldar-me a criatividade.

O que é que sentiriam se ouvissem um anúncio em que se diz "MediaMarket, eu é que não sou parvo", e não fossem lá?!

Compreendem agora, o meu desespero?

Ainda por cima, naquele estádio. Não posso entrar ali...!



Quero MIMOOOOOO!
publicado por S às 00:35
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2005

Somos os maiores!!

logo3.gif



Somos ou não somos?
publicado por S às 21:47
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito

Já nasceram!

Lembram-se da cadela que praticou SEXO DESENFREADO COM UM CÃO? (Não liguem a esta parte. É apenas para aumentar o numero de acessos por pesquisa no Google)

Pois é. Afinal não são seis. São oito!! (fazer ecografias a cães já dá vontade de rir, não era preciso chegar a este extremo...).

Cinco, já têm dono.


Haja algum altruísmo, vá lá...
publicado por S às 18:43
link do post | comentar | favorito

E agora?


" 'Deixar morrer' é ou não o mesmo que eutanásia?

Parecer do Conselho de Ética instaura polémica entre médicos portugueses

Ao admitir a suspensão de alimentação e hidratação em doentes em estado vegetativo persistente (EVP), desde que seja essa a vontade do próprio, previamente expressa ou "presumida", e ao consagrar o carácter soberano da vontade individual, o Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV) abriu a discussão sobre a questão da eutanásia em Portugal. (...)" In DN ONLINE, 24/02/2005



Por mais que tente (e acreditem, eu tento), não consigo evitar a perplexidade que me invade quando me deparo com esta questão.

Na minha perspectiva, a eutanásia é um recurso que todos os seres humanos devem ter direito a utilizar, em determinadas circunstâncias. Quando a vida já não apresenta o mínimo de qualidade, ou de autonomia relativamente a assistência médica, e, em consciência, alguém deseja terminar a sua viagem por estas bandas, não me parece justo negá-lo.


O caso, aqui, não é bem este. Mas tem muitos aspectos em comum.

É relativamente fácil, aceitar que a medicina sirva a vida. Qualquer pessoa pode compreender que, em termos éticos, o suposto é potenciar a vida, seja em que condições fôr.

Mas, da mesma forma que se dá ao doente um termo de responsabilidade, permitindo-lhe assim não receber um tratamento que pode salvar-lhe a vida, deveria ser atendido todo e qualquer desejo expresso, nesse sentido - e, como disse anteriormente, em consciência -, por quem nada mais terá, ao longo dos seus dias, que actividade cardíaca.


O estado vegetativo persistente, note-se, não é uma simples lipotímia (ou desmaio, se preferirem). Será ético manter, artificialmente, a vida de quem não sairá desse estado, por muito tempo que "viva"?


Como sempre, admito a hipótese de não estar a analisar todos os aspectos que este assunto, muito complexo, comporta.

É por isso que vos peço que reflictam um pouco, e me deixem os vossos comentários.
publicado por S às 17:08
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2005

Mau!!!

ENTÃO??!!


Ninguém comenta??


Algumas pessoas precisam de incentivos, sabiam?


Façam lá o favor de comentar, que isto de blogs sem comentários, é como...

...


(até estou sem palavras...)


Ah!, mas não votem, ali ao lado, porque não vale a pena.


Mais um motivo para me convencer que isto me está a correr mal...


Escrevi alguma coisa que não devia, foi?
(Eu sei que não é saudável entrar neste campo. Mas se não comentam, vou começar a fazer chantagem psicológica.)

(Depois não digam que não avisei...)

(Já viram bem em que estado estou?)

Isto, que está entre ( ), é dito em voz baixa e a soluçar. Isto, não. O que está escrito em cima é que é.

(Comentem...)

(Comentam?...)
publicado por S às 13:00
link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito
Terça-feira, 22 de Fevereiro de 2005

Príncipes, princesas e lobos maus...

capuchinho vermelho.jpg



Eu já calculava que isto, um dia, ia correr mal...

Mesmo antes de ser mãe, já tinha umas ideias sobre a importância das histórias, na vida das criancinhas. O que eu não sabia, era que algumas criancinhas (espero que haja alguém com mais sorte do que eu, e que aquele "algumas" não seja uma utopia), fazem questão de transformar grandes contos, em simples "medidores de paciência parental".

Eu explico:

Quando a Maria - que tem 5 anos - era muito mais manipulável (afinal, sempre se confirma. Eu SOU manipuladora), era relativamente fácil convencê-la de que as histórias, por muito longas que pareçam nos livros, não eram maiores do que ela. E, assim, quaisquer cinco minutinhos eram suficientes para as contar.

Os problemas começaram (quem me mandou a mim fomentar nela a curiosidade e a criatividade...) quando, por volta dos três anos, começou a tornar-se mais exigente.

Eu não desarmei, e o único trunfo que me lembrei de utilizar, do alto dos meus vinte e tal anos de sabedoria, foi começar a contar as histórias (que já era ela a escolher) em versão acelerada. Durante uns tempos (leia-se dias), resultou. Mas depois, o argumento "Querida, a história está lá. INTEIRINHA, cheia de pormenores!! A mãe só a contou mais depressa. Só isso..." esgotou-se. Até porque, já nem adiantava eu falar mais rápido do que o meu pensamento. Não era suficientemente rápido para o pensamento dela. E acabei por me render às evidências. Ia fazer o quê...?

Não sei se foi estratégia dela, ou não. O que sei, é que me saiu bem caro o atrevimento.
A história do Capuchinho vermelho, chegou a demorar meia hora a ser contada... Sabem aquela parte dos bolinhos que o raio da miúda fez para levar à avozinha? Pois é... essa era a parte em que eu tinha de me calar, durante vários minutos, para ser especificado o tipo de bolinhos que estavam dentro do cestinho. "...de muango..., de chocuate..., de canela (é verdade! é doida por canela!)..."...

Hoje em dia, felizmente, a história favorita da Maria é a "Cinderela" que, como toda a gente sabe, não tem muito por onde inventar.


Agora (e vejam bem a minha sorte...), imaginem lá qual é a história que a Martinha - que tem quase dois anos - adora e precisa, para ficar sob hipnose...

É mesmo essa. O Capuchinho vermelho. Só espero que o desespero não me faça cair no mesmo erro...
publicado por S às 13:43
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 21 de Fevereiro de 2005

Ai!

É desta!

Como se não bastasse o resultado das eleições, recebi um mail.

Não me interpretem mal. O resultado das eleições não é bom. O mail É.

O que têm em comum, é o estado em que me deixaram: Paralisada.

Por um lado, assisti pela primeira vez a um primeiro discurso pós vitória eleitoral, em que o vencedor recusa, de forma decidida, um copo de água. Esperemos que seja prenúncio de uma governação que não meta o líquido em questão.

Por outro, e após um deserto de comentários no meu blog, mato a sede da saudade com litros de palavras (entre as quais "intromissão", "despropositada" e "invasão", que não são, de todo, aplicáveis, vindas de quem vêm), ao ler um mail.

É por estes dois motivos (e apenas estes, porque a tótózice com computadores já lá vai... acreditaram?? ahhh ah ah ah ah), que não consigo fazer o ping (nem o pong por acréscimo).

Resta-me esperar que o meu digníssimo consultor informático, de nome Calvin, me elucide (elucidar, no meu dicionário, significa enviar um mail com a papinha toda feita...).


Ainda não estou em mim... ai!


É verdade... Ninguém quer um cãozinho?! Mesmo? Pensem lá melhor...
publicado por S às 19:09
link do post | comentar | favorito
Domingo, 20 de Fevereiro de 2005

Já está... Mas a que preço?

Fui votar.
Entrei, entreguei o cartão de eleitor e um papel dobrado ao meio (fui renovar o B.I., e quase tive uma crise de identidade. Para além de ficar péssima nas fotografias, exigi que me medissem novamente - nesse dia calcei uma botas, com um saltinho valente -, e fiquei verde de raiva com o resultado. Nem um cm a mais, desde há cinco anos!! Ando eu a comer Nestum, para quê??).
Votei.
À saida, ouvi um sussurro.
Alguém que olhou para mim, percebeu o que me ía na alma, e disse, baixinho: "Está com uma cara, a infeliz... Tal como o pai da Liberdade." (vejam o post de ontem, no Alerta amarelo, e percebem.)
publicado por S às 18:06
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sábado, 19 de Fevereiro de 2005

...

Estou a reflectir...
publicado por S às 00:48
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito