origem

Mail me

blogseve@gmail.com

Posts Recentes

Ossian

E por vezes

Liberdade?

Conselhos para todas as f...

Pois...

La femme comme il faut

Da divindade

Dos dias

My Panama Papers

Do vazio

Blogs especiais

Arquivo

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2015

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Detector de movimentos

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Sábado, 12 de Janeiro de 2008

Eu, muitas vezes

 

Toda a gente sabe da minha paixão por Lobo Antunes.

 

Toda a gente, menos ele.

 

E ele, sem saber, faz-me saber que a tenho.

A mim, e a toda a gente que sabe.

 

Porque não consigo escondê-la e ele, sem saber e sem querer, faz-me senti-la.

 

Muitas vezes.

 

E faz-me querer roubar revistas antigas abandonadas em sofás de cabeleireiros...

 

E depois, faz-me pesar a consciência e pensar na alternativa: "podias rasgar as páginas da crónica, apenas, e escondê-las na mala...".

 

E passados alguns segundos, faz-me ainda chamar nomes a mim própria.

"És mesmo parva. Por que raio não cumpres as promessas que te fazes e não assinas o raio da revista?"

 

E quando chego a casa, olho para o chão e vejo-as. Todas ali. A ocupar um espaço enorme do meu chão.

Quando o que quero delas, o que preciso delas, são apenas duas páginas.

 

E as duas páginas que queria, hoje, e que pensei irremediavelmente perdidas... não estão, afinal.

 

E é tão bom, quando há  "afinais" assim, nas nossas vidas.

 

publicado por S às 18:35
link do post | comentar | favorito
12 comentários:
De Jaime a 12 de Janeiro de 2008 às 19:33
Mete-te com alguém da tua idade, pá! :-)
De S a 12 de Janeiro de 2008 às 19:39
:)))
Fizeste-me rir, Jaime! :)

Mas para que saibas, eu tenho 14 e ele tem 18. Nunca passámos dessa idade. Por dentro, nunca passámos. Portanto, é essa a idade que temos.

E tu, que idade tens? :)
De Jaime a 12 de Janeiro de 2008 às 22:38
Eu tenho 87. Perdão, 87 e 3/4. Sou um velho de espírito. Lembras-te do velho do Restelo? É meu neto.
De S a 12 de Janeiro de 2008 às 23:22
:)

Estás muito bem conservado, então... :)
(e cai por terra aquela conversa de não precisares dos produtos que os e.mails te propõem...) :)
De on a 12 de Janeiro de 2008 às 21:09
Depois das botas,

os cabeleireiros...



efeito 33?
De S a 12 de Janeiro de 2008 às 23:17
:)

Os cabeleireiros começaram antes das botas, para tua informação. E nem é a parte dos cabelos que me interessa, lá. Infelizmente, não consigo limar as unhas da mesma forma na mão direita e na esquerda. É só por isso. :)

De qualquer forma, não deixas de ter razão: hoje comprei duas - D-U-A-S! - saias... Sinistro, não? :)
De Hello! a 14 de Janeiro de 2008 às 00:15
...botas... depois...saias?:-)... next?:-) next!!!:-)
De S a 14 de Janeiro de 2008 às 13:24
:)

Next?
The end of the world as we know it. :)
De paulo santos a 15 de Janeiro de 2008 às 02:45
Sim…olhei com ansiedade para o teu blog...

Gostei do título deste Post “Eu, muitas vezes...”

Tem qualquer coisa a ver comigo : )

E Eu gostava de te contar uma história, baixinho…ao ouvido, como quem sussurra numa voz doce…assim, como a fala naqueles momentos antes…dos tais instantes mágicos…de quem se beija… pela primeira vez…

Por isso, quero-te perguntar…

“Bébé …vamos construir um Universo?"

Porquê? Porque o tempo tem a forma de uma pêra…
Mas sobretudo, porque os meus átomos são inevitavelmente atraídos pelos teus…

Onde? Aqui mesmo…na Terra.

Como?

Ora deixa cá ver…para já…podemos imaginar…
Bem, e vamos precisar de algum material…

Vamos reunir tudo o que existe…todos os grãozinhos de poeira de matéria desde o inicio até agora…e depois de todas as partículas reunidas…vamos colocá-las num sitio tão infinitamente compacto que este fica sem dimensão…

Cá está!!...já temos a nossa singularidade…

Minha…

E tua…

Haverá espaço para a nossa singularidade existir?
E o tempo? Haverá tempo?

Até agora ainda não bébé…porque o espaço ainda não tinha sido criado…e também não sabemos há quanto tempo a nossa pequena jóia lá está…porque não á escuro nem fronteiras…e na verdade…

Tudo começou do nada…

E assim sem mais nem menos, quando o tal nada se fazia esperar…mais depressa do que as palavras podem descrever, ou do que um simples pensamento alguma forma ganhar…
Num único pulsar de luz, mais brilhante que o maior de todos os momentos de glória…aconteceu…o primeiro segundo da História.

A partir do instante zero…estamos a caminho…

No milionésimo de segundo seguinte, o tempo e o espaço começam agora a ganhar forma, estamos a muito mais de dez biliões de graus, e as forças da natureza estão combinadas numa força primordial única…chama-se a este período, o Tempo de Planck, e como só num sonho pode acontecer, as leis da Física ainda estavam em formação.

Nestes primeiros instantes, a densidade do espaço ara tão elevada, que os fotões colidiam com frequência. Isso fazia com que se transformassem espontaneamente em partículas de matéria e nas suas correspondentes de antimatéria, ou seja…muitas vezes…no principio… quando duas partículas têm feitios diferentes e não se conhecem…andam ás turras uma com a outra…

(Eu até não sou burro de todo…isto é canja bébé…)

Continuando…a matéria e a antimatéria colidiam, aniquilavam-se mutuamente, produziam um novo par de fotões, e assim sucessivamente, dá-se a este processo o nome de produção de pares, e ainda hoje acontece no Universo moderno, quando as condições são ideais.

Contudo, uma vez em cada milhar de milhões de vezes, uma partícula de matéria é criada sem a sua correspondente de antimatéria…este fenómeno vai semeando partículas de matéria no Universo porque não existem as antipartículas para as transformarem de novo em fotões de energia…

E foi assim que nasceu o amor…

Porque em menos de um minuto, o Universo já ocupa um milhão de bilião de quilómetros em todas as direcções, e continua a crescer…

O hidrogénio, o hélio, o lítio, todos os elementos mais leves ganham alma…

Com três minutos de existência, já tinha sido criada cerca de praticamente toda a matéria que existe actualmente ou alguma vez existirá (cerca de 98%)

Até aos cinco minutos de vida os níveis de energia ainda eram tão elevados que os átomos estavam inteiramente ionizados e existiam como núcleos num mar de electrões…

As quatro forças fundamentais da natureza, a Gravidade, a Interacção Nuclear Fraca, a Interacção Nuclear Forte e o ‘meu’ Electromagnetismo moldaram o nosso Universo á vontade de Deus…

Os átomos, enamorados, foram continuando a sua epopeia...

Foram precisos setecentos milhões de anos até ao surgir das Galáxias maiores e mais brilhantes…

E finalmente…catorze biliões de anos, até o meu olhar…cruzar o teu…

Hoje em dia, o Universo tem perto de cem biliões de anos-luz de uma ponta á outra...É enorme! E para todos os efeitos, infinito…

E é espantoso como tudo correu a nosso favor!

E é por isso que o agora…é o tempo…e o aqui…é o espaço…



De S a 15 de Janeiro de 2008 às 13:23
Sem palavras.

E sem ar, também. :)
De paulo santos a 15 de Janeiro de 2008 às 03:14
Eu só queria comentar o meu Post :

- Arrasei !!

: )

PS – Quem é Lobo Antunes ??? vamos ter chatices !!
De S a 15 de Janeiro de 2008 às 13:25
E agora comento eu:

Arrasaste completamente! :)

Boas férias!
E dá um beijinho meu a Berlim. :)

Comentar post